Economia circular e o marketing digital

Você já ouviu falar em economia circular e na sua relação com uma estratégia de marketing digital?

São ambos fortes tendências atuais que as empresas deveriam prestar muita atenção.

Saiba como a economia circular e o marketing digital podem ser seus aliados na construção da credibilidade e do apreço por sua empresa. Vamos tratar sobre isso nesse post.

Confira!

Contexto Atual

Você já parou para pensar no impacto ambiental que as atividades humanas possuem sobre o meio ambiente?

Vivemos em um mundo de recursos limitados e nossos hábitos e modo de viver podem impactar profundamente nosso planeta.

O mundo vivencia nos últimos três séculos um avanço tecnológico e populacional sem precedentes. Tivemos, por exemplo, as revoluções industriais que nos proporcionaram enormes avanços na produção de bens/serviços e os avanços na ciência nos proporcionaram melhores condições de saúde/saneamento fazendo com que a população humana crescesse exponencialmente.

De fato, levamos 1800 anos para atingir a marca de 1 bilhão de habitantes na Terra. Somente em 1927 é que se alcançou outro bilhão de habitantes, ou seja, aproximadamente 120 anos para que atingíssemos a marca de dois bilhões de habitantes. Desde então esse intervalo de tempo se reduziu muito. Como se nota, a partir de 1974, aproximadamente a cada 12 anos a população da terra aumenta em um bilhão de habitantes.

Dessa forma, a produção de lixo também cresce exponencialmente. Somente a Europa produz cerca de 2,4 TRILHÕES de quilos anuais (UE). Assim, não é difícil imaginar os impactos para o meio ambiente do nosso planeta resultante do aumento do consumo e da produção de alimentos, bens, serviços, etc. Felizmente, devido a conscientização sobre esse problema, novas abordagens surgem em todos os campos de conhecimentos humanos. E , obviamente, essa conscientização atinge também a economia e as empresas.

A economia circular

De fato, a mudança climática e a degradação ambiental são uma ameaça existencial para o mundo. A Europa, por exemplo, atualmente trabalha em novas estratégias de crescimento que a transformem em uma economia eficiente e competitiva. Para isso, elaborou o European Green Deal com o qual buscará tornar a sua economia sustentável. Um dos pilares desse acordo é o plano de ação para a economia circular.

A economia linear

O modelo econômico tradicional – aquele linear – se baseia em um padrão extração-produção-consumo-desperdício. Este modelo se baseia em grandes quantidades de materiais e energia baratos e de fácil acesso.

Também faz parte deste modelo a ultrapassada e prejudicial obsolescência planejada, na qual as empresas projetam um produto para ter um tempo de vida limitado para incentivar os consumidores a comprá-lo novamente. Um dos primeiros casos documentados de obsolescência programada descobertos foi em 1924 quando importantes empresários internacionais de todos os principais fabricantes de lâmpadas – incluindo a Osram, a Philips, a Compagnie des Lampes e a General Electric – se reuniram em Genebra. O grupo fundou o cartel Phoebus, um órgão supervisor que iria esculpir o mercado mundial de lâmpadas incandescentes e cotas de produção. Uma das principais conquistas da aliança global de lâmpadas conhecida como cartel Phoebus foi a pesquisa e desenvolvimento de lâmpadas com vida mais curta.

Sala de testes da Phillips

Mudança de mentalidade da economia circular

Por sua vez, a economia circular é um modelo de produção e consumo, que envolve compartilhar, alugar, reutilizar, reparar, reformar e reciclar os materiais e produtos existentes o máximo de tempo possível. Portanto, desta forma, o ciclo de vida dos produtos se estende.

Ela segue uma noção de Capitalismo Natural desenvolvido por Amory Lovins, Hunter Lovins e Paul Hawken. É dizer, a capacidade do homem de produzir mais e poluir/desperdiçar menos usando tecnologia/conhecimentos já existentes. É a demonstração de que negócios e os interesses ambientais se complementam, satisfazendo melhor os clientes e aumentando os lucros (veja mais Harvard Business Review).

Na prática, isso implica em reduzir ao mínimo o desperdício. Quando um produto atinge o fim de sua vida útil, seus materiais são mantidos dentro da economia e da cadeia produtiva sempre que possível. Estes podem ser utilizados de forma produtiva repetidas vezes, criando assim mais valor.

Ciclo da economia circular

A importância da economia circular

A população mundial está crescendo e com ela a demanda por matérias primas. Entretanto, o fornecimento de matérias-primas é limitado pois nosso planeta é finito. Dessa forma, o reaproveitamento é fundamental para a sobrevivência não só da economia, como da própria espécie humana.

Além disso, a extração e o uso de matérias-primas tem um grande impacto sobre o clima porque aumenta o consumo de energia e das emissões de CO2. Entretanto, um uso mais inteligente das matérias-primas pode reduzir essas emissões e o aquecimento global.

Economia circular e o marketing digital na sua empresa

Agora você pode se perguntar como isso afeta ou beneficia sua empresa ?

É fato que os consumidores, com o aumento da disponibilidade de informações propiciada pela internet, se tornam cada vez mais conscientes do impacto de suas escolhas de consumo. Segundo a Nielsen, as vendas de produtos sustentáveis aumentaram em quase 20% desde 2014.

O crescimento na venda de produtos “eco-friendly” em alguns casos chegam a ser 14 vezes maiores que os produtos tradicionais.

Um dos primeiros aspectos que você pode considerar rever é o posicionamento estratégico da sua empresa ou rever o perfil do seu buyer persona para tentar capturar a atenção e as escolhas desse consumidor mais ecologicamente consciente.

Economia circular e o marketing digital podem andar de braços dados. Por exemplo, você pode utilizar em seu favor adotar estratégias de marketing digitais – ex. outbound marketing e inbound marketing – que diminuem a poluição e o desperdício de recursos das mídias tradicionais. Nesse sentido, para difundir uma boa impressão, sua empresa ainda pode considerar incluir em suas estratégias de inbound e outbound marketing informações que vinculem sua empresa a comportamentos sustentáveis, ecológicos ou relacionados à economia circular.

Seu LinkedIn para empresas pode ser uma boa ferramenta para sua empresa nesse sentido. Diferentemente de outras redes sociais, os usuários do LinkedIn estão lá buscando oportunidades para negócios, parcerias e conexões comerciais. Você vincular sua empresa a uma rede “eco-friendly” pode ser um bom painel de propaganda. Em seu LinkedIn para empresas pode ser interessante incluir processos, fatos, acontecimentos, decisões ou até mesmo vincular sua empresa à outras empresas que tenham comportamentos ecologicamente responsáveis ou sustentáveis.

O Circular Economy 100

Outra forma de se beneficiar das tendências de consumo atuais pode ser a realização de um benchmarking com empresas que estão na vanguarda das tendências de mercado e de consumo. Existem diversas grandes empresas, universidades, governos que participam, por exemplo do “Programa CE100”, ou seja, “O Circular Economy 100”. Esse programa visa a inovação competitiva para que organizações desenvolvam novas oportunidades e alcancem mais rapidamente as suas ambições na economia circular. “Elementos do programa ajudam os membros a aprender, desenvolver capacidades, fazer networking e colaborar com organizações chave em torno da economia circular.

De uma coisa você pode estar certo: você só tem a ganhar pois ninguém deixará de consumir seu produto/serviço se você disser que se preocupa com o meio ambiente e com as gerações futuras… Porém, se você não adotar essa postura, você corre um sério risco de perder clientes que dão valor (ou iniciam a dar valor) à essa nova tendência de consumo.

Posto isto, se você e sua empresa não estão conseguindo acompanhar todas as novidades do frenético e acelerado mercado moderno, considere contratar a consultoria de marketing digital para auxiliar sua empresa a alavancar suas vendas e seu Market Share.

Sucesso!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *