Inbound Marketing: RD Station e Facebook Ads integrados com Blog

RD station e facebook

No conteúdo deste artigo, vamos ver como criar um fluxograma de Inbound Marketing integrando RD Station e Facebook com Blog.

Nós da NoTopo, usamos RD Station pois é a mais conhecida no Brasil, mas este conceito vale para qualquer ferramenta de automação.

Essas são as 3 ferramentas que utilizamos:

Primeiramente vamos ver o fluxograma como funciona e depois vamos ver como funciona na forma prática.

Então, inicialmente, criamos algumas campanhas no Facebook para a geração de leads comerciais, usando a funcionalidade de “Lead Ads”.
Quer saber como funciona essa funcionalidade ? Vamos descobrir !

Quando você está no Facebook, você pode ser impactado por um anúncio e aplicar neste anúncio, o Facebook mesmo pode pedir se você autoriza o Facebook a passar seus contatos para o anunciante. Caso você aprove, o anunciante já recebe seus contatos. Lembrando que o Facebook já tem os seus contatos ou seja, por isso ele pede sua autorização.

E isto é feito sem o uso nem de Landing Page nem de nada, é uma coisa bem direta.
Você pode se questionar: Então porque não tentar primeiro fazer uma coisa um pouco mais eficiente, antes de seguirmos para as outras tentativas ?

Nós fizemos ciclos de campanhas primeiro, podemos subir listas existentes (por exemplo: se vem de ferramenta de prospecção, como Ramper ou algumas listas que eu já possuo) obviamente sempre com o respeito da LGPD, eu posso usar listas públicas, por legítimo interesse (por exemplo: usar uma lista com e-mails corportativos que vem do Ramper mas realmente não posso usar listas compradas).

Então, a necessidade que tenho é de impactar essas pessoas seja usando as listas ou por perfil de potencial cliente.

RD station e facebook – Conversão de Leads

Caso a pessoa converta diretamente, o lead irá diretamente para o setor comercial do qual irá analisar e iniciar com toda qualificação dentro do Pipeline de vendas.

Caso ele não converta, nesse formulário comercial, será preciso ainda impactar esta pessoa com algumas campanhas para tentar mandar essas pessoas para a Landing Page da RD Station.

Então, é necessário mandar para a LP que são externas ao Facebook, mas sempre com o intento comercial.

E repito, a pessoa pode converter e neste caso, o contato vai direto para o comercial ou não converter. Se não converter, eu faço mais campanhas de Remarketing para conteúdo Blog (sempre pelo Facebook) .

Se, com o passar do tempo, eu vejo que essas pessoas estão sendo impactadas pelos anúncios mas não estão convertendo, eu tento pela funcionalidade do formulário direto, pela Landing Page da RD e por fim vou tentar novamente pelo conteúdo.

Criando o conteúdo blog em base ao KW (Keyword)

Então, vou mandar o conteúdo blog em base ao KW (Keyword | Palavra Chave); o que isso significa ? Significa que vou mandar para o conteúdo do blog ou do site na verdade, que tratem de conteúdo relevante para o produto que eu queira vender.

Pode ser um produto de venda no site mas pode ser também um conteúdo mais informativo. E aqui, temos outra questão, obviamente eu posso ter uma conversão dentro do site comercial (Ex. contato com nosso setor comercial| Fale conosco).

Essa pessoa recebe uma NL (Newsletter) por Pop-up (caso ele não converta no comercial) e repito, ele pode converter no Pop-up ou não. Caso ele não converta, ele continua sendo impactado por essas campanhas de Remarketing.

Caso, ele seja impactado, este processo não é mais comercial porque ele não converteu para falar com o comercial, ele converteu pelo nosso Pop-up. E então o que acontece ?

Ele entra na RD Station, e dentro da RD nós criamos alguns fluxos de automação baseados em Lead Tracking.

Usando a ferramenta de Lead Tracking

Lead Tracking é uma ferramenta que possui uma funcionalidade de rastrear o comportamento do lead dentro do site.

Como estamos falando de pessoas que se cadastraram, que passaram por esses conteúdos baseados em palavras chave pois eu estou fazendo este tipo de campanha, eu posso deixar automatizado na RD Station.

Assim todas as pessoas que acessaram esse conteúdo vão receber esse e-mail ou esta cadência de e-mail.

Portanto, a gente vai alimentando esses leads até quando eles estiverem prontos para depois chegarem ao comercial.

Como podemos implementar ?

Veja no fluxograma, mas ao fazer as coisas temos algumas limitações dadas pelas ferramentas (por ex. Facebook), ele trabalha não necessariamente o número de vezes de impacto, mas trabalha em tempo de impacto, ou seja ele pode aparecer algumas vezes para os mesmos usuários.

O que nós sugerimos neste caso é que seja feito o seguinte:

De forma prática, a gente sugere trabalhar pegando 3 grupos de pessoas:

1) As listas existentes ou seja, aquelas listas que eu vou importar de fora, do Ramper ou de outras ferramentas, sempre lembrando o respeito da LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais).

2) Eu posso criar perfil no Facebook (vs ICP | Ideal Customer Profile). Desta forma eu crio um perfil específico, crio as características (por exemplo: eu preciso prospectar pessoas que estão em São Paulo, com idade entre 30 e 40 anos), assim, eu posso configurar o perfil dentro do Facebook.

3) E por fim, as listas de Remarketing que são as listas de pessoas que realmente já foram impactadas pelos meus anúncios.

Utilizando as 3 campanhas que vimos anteriormente:

  • Facebook
  • Lead Ads
  • Remarketing [Para LP e para conteúdo Blog]

Fazendo as 3 campanhas para as 3 listas ou seja, eu faço as campanhas tanto para Facebook Lead Ads, quanto para as listas existentes, para o perfil e para o Remarketing.

A campanha para LP na RD, ou seja, para as listas existentes, para o Facebook (Perfil ICP), para listas de Remarketing é a mesma coisa para as campanhas das páginas do site (na base de KW), eu preciso fazer para as 3.

Vou começar fazendo assim para as 3, mas no começo não vou ter nada de Marketing pois ninguém será impactado, só que ao longo do tempo eu vou ver simplesmente qual campanha desempenha melhor na base do resultado que eu tenho.

Então aos poucos eu vou reduzindo o orçamento nas campanhas com menor performance até chegar ao ponto de ter que desativar a campanha. Então, isto dá para fazer tranquilamente dentro do Facebook.

Fazendo campanhas efetivas utilizando a ferramenta de Lead Ads

Fazendo campanhas do Facebook Lead ads, uma para listas existentes, uma para perfil Facebook e outra para lista Remarketing. Convertendo vai para o comercial, não convertendo ele vai continuar sendo impactado.

Até o momento que eu vejo que a campanha que funciona melhor vai pedir mais orçamento e a campanha com menor desempenho vai reduzir o orçamento.

Mesma coisa, vou fazer campanha para LP (Landing page) na RD, do qual volto a falar, ela é uma página pautada em produto. Então, listas existentes vou fazer para: Listas existentes + Perfil Facebook + Listas Remarketing.
Se converter, conforme for para o comercial, ótimo; se não converter, ele volta a ser impactado.

A única diferença neste caso, se ele converteu no comercial (o form do comercial vai para o comercial) mas se não converteu tem a questão do Pop-up.

Conversão através do Pop-up

Se ele converteu no Pop-up, o lead entra no fluxograma da RD Station que a gente cria na base de Lead Tracking, ou seja, a gente faz campanhas para leads que se cadastraram e que acessaram as páginas das minhas campanhas ou enviaram e-mails de engajamento. Caso eles não se cadastrem, eles continuam sendo impactados. Ou então neste caso, a ideia é trabalhar o Facebook ou os 3 tipos de abordagem que vimos neste conteúdo: [Listas existentes | Perfil Facebook | Listas de Remarketing].


Três tipos de campanhas: Uma de Facebook Lead Ads, outra para LP de produto e outra para páginas de conteúdo do site, e tudo isto integrado com a RD Station e Facebook ou outra plataforma de automação. Lembre-se: o objetivo é sempre gerar leads para o nosso comercial.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *